Nesses últimos dias uma amiga que amo muito tem sido afligida pelo inimigo das nossas almas com pensamentos ruins sobre si mesma, tristeza e desânimo. E pensando nela, o Senhor me trouxe a memória a visão que eu tive semanas atrás sobre a sua vida espiritual, e eu contei a ela. Eu via minha amiga buscando a Deus, orando, e naquela cena eu conseguia ver, de alguma forma, um embrião muito frágil que simbolizava a vida espiritual dela. Então o Senhor me mandava dizer a ela para que não parasse de alimentar aquele embrião, pois ele depende do alimento (da Palavra e da busca pelo Espírito) para sobreviver, crescer e realizar obras.

Mas o que fazer quando nossa alma se abate e não encontramos forças ou motivação? Tão facilmente o inimigo nos faz acreditar que não valemos nada, que somos impuros, indignos de caminharmos com Cristo. Isso acontece com mais freqüência do que se pode imaginar. Mesmo nos esforçando para não darmos ouvidos ao diabo, certas vezes chegamos a acreditar mesmo que “servir a Deus não é pra nós… ah, somos tão pecadores”. Essa é a mentira que ele quer que nós vivamos.

Satanás tem estratégias para nos fazer acreditar em suas mentiras. Uma delas é nos enganando sobre quem nós somos.

Me lembro de uma parábola que ouvi um dia sobre um homem que sentia-se sem valor algum. Aquele homem resolveu procurar seu pastor para conversar, e, ao chegar no gabinete, viu que o pastor estava muito ocupado resolvendo os assuntos da igreja. O pastor vendo o homem entrando pela porta, antes mesmo que o cumprimentasse, disse – Rapaz, tome este anel. Vá ao mercado e veja por quanto consegue vender. Mas não aceite nenhuma oferta abaixo de $3mil. Se conseguir, venda.

– Mas, pastor, preciso conversar com o senhor. O senhor tem um tempo pra mim? – respondeu.

– Sim, meu filho. Vá primeiro ao mercado vender esta jóia e depois conversamos.

Imagino que isso tenha feito aquele homem se sentir pior, mas ele sem contestar foi fazer o que o pastor lhe mandou.

Chegando ao mercado, ergueu a jóia e começou a gritar “vende-se, vende-se!”. Por horas o rapaz anunciou que queria vender a jóia, mas poucas pessoas lhe deram atenção. A maior oferta que recebera foi de $600. Desistente, ele volta ao gabinete do pastor com o semblante triste e diz – Pastor, eis seu anel. A maior oferta que me fizeram foi de $600, então não vendi. Agora o senhor tem um tempo para mim?

O pastor sem olhar muito para o rapaz respondeu – Filho, leve ao joalheiro e veja quanto ele paga pelo anel. Mas preste atenção, não venda! Apenas pergunte quanto vale. Quando voltar, eu prometo que conversamos.

Um pouco frustrado por ainda não ter conseguido a atenção do pastor, leva o anel ao joalheiro e pede para que analise a peça. O joalheiro demora alguns instantes perscrutando a jóia com uma lupa, depois a pesa, e diz – Fale ao pastor que, se ele quiser vender este anel agora, eu lhe pago $85mil em dinheiro.

O rapaz, espantado, enfia a jóia no bolso e volta com medo de ser roubado por alguém no caminho. Encontra o pastor em seu gabinete ainda atarefado com seus afazeres, senta-se na cadeira em frente a ele, coloca o anel sobre a mesa e dá o recado do joalheiro – Pastor, não sei o que o joalheiro viu de precioso no anel! Ele disse lhe paga $85mil em dinheiro!

O pastor sem demonstrar surpresa pela oferta, olha fundo nos olhos do rapaz e pergunta – Sabe porque o joalheiro fez esta oferta?

– Não, senhor.

– Porque foi ele quem esculpiu esta jóia. Ele sabe exatamente seu valor. Mesmo que as pessoas do mercado não tenham enxergado o quanto ele é valioso, o criador deste anel sabe que ele é único e de grande valor.

Quando ouvi essa parábola em uma pregação, o Espírito Santo me esclareceu o entendimento de que as pessoas do mercado representam as pessoas do mundo que passam por nós, às vezes entram em nossas vidas e não nos dão valor. Os que fizeram ofertas abaixo do valor real da jóia representam aqueles que são usados pelo inimigo para nos jogar para baixo, nos lançam palavras de desânimo, nos desmerecem. Mas tudo isso é jogado por terra quando a jóia é levada ao seu criador, assim como nós somos levados a conhecermos a Deus, que nos formou, que sabe o real valor que temos. Aquele que nos criou e sonhou com nossas vidas antes de formá-las. Ele, sim, nos dá valor.

Na ultima postagem eu disse que Deus apaga nossos pecados e jamais se lembra deles – segundo a Sua Palavra – e Ele é tão misericordioso que nos limpa, nos ergue outra vez e nos capacita para que sejamos cada vez mais fortes, pois esta é a Sua vontade. Ele quer que nós cresçamos! Quem é satanás para nos impedir?

Certa vez ouvi que quando estamos vazios, dali surge o louvor. Para isso, precisamos buscar mais de Deus para preencher nosso vazio. Por isso eu te digo: se estiver vazio, escolha buscar a Deus. Não dê ouvidos ao inimigo. Quando nos deixamos ser abatidos por sentimentos ou pensamentos ruins, estamos satisfazendo a vontade dele. Escolha a vontade de Deus. Se levante! Grandiosos são os planos do Senhor para nossas vidas.

“Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR nasce sobre ti; Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti”

(Isaías 60:1-2)